Tanto a Covid-19 quanto a gripe são duas doenças que afetam o trato respiratório e inspiram cuidados, principalmente, com a população idosa. Em algumas cidades foi liberado que a vacina para gripe pudesse ser aplicada para a ampla população, não ficando restrita apenas para o público-alvo inicial (idosos acima de 60 anos, gestantes, crianças entre 6 meses a 6 anos, puérperas, trabalhadores da saúde, entre outros).

Contudo, inicialmente recomendava-se que ela não pudesse ser aplicada em conjunto com a vacina para Covid-19. O que mudou? Vamos atualizar essas informações para você a seguir. Boa leitura!

Por que havia orientação para não tomar as duas vacinas no mesmo dia?

Para entender a primeira recomendação (de que as duas vacinas não fossem aplicadas no mesmo dia) é importante compreender o cenário que tínhamos antes. Quando as vacinas chegaram, os estudos estavam ainda muito ligados com eficácia, garantindo sim a confiabilidade da vacina. Contudo, havia um certo receio de que as duas atuando em conjunto no organismo poderiam debilitar consideravelmente o organismo, o que não era desejável naquele momento.

Assim, a recomendação anterior era que a pessoa esperasse 30 dias após a aplicação da vacina para Covid-19 para tomar a da gripe e vice-versa. Era uma medida de precaução, para proteger a população até termos dados mais consistentes sobre essas questões.

E por que essa orientação mudou?

No dia 29 de setembro, o Ministério da Saúde autorizou que ambas as vacinas (gripe e Covid-19) possam ser aplicadas no mesmo dia. Isso ocorreu por meio da publicação de uma Norma Técnica, que autoriza as unidades de saúde a realizarem a aplicação em conjunto.

Essa foi uma orientação trazida por especialistas e que é baseada, justamente, no avanço dos estudos sobre a interação entre as vacinas, o que mostra que elas são seguras de serem aplicadas em conjunto. Com isso, torna-se mais fácil manter o esquema vacinal de grupos que tenha maior risco quando desenvolvem quadros graves de gripe.

Terceira dose também foi liberada para população adulta

Outra novidade publicada no dia 16 de novembro é que toda a população adulta estará liberada para tomar a terceira dose das respectivas vacinas para Covid-19, com intervalo reduzido de 6 para 5 meses. Assim, se, por exemplo, você tomou sua segunda dose no dia 15 de agosto, estará liberado para tomar a dose de reforço no dia 15 de janeiro de 2022.

Contudo, é importante estar atento para os calendários dos estados e municípios. Isso porque esse processo dependerá da logística de doses e vacinas disponíveis. Assim, esteja atento para as informações da sua região e tome sua dose de reforço assim que estiver disponível.

Para quem tomou a Janssen (que é recomendada para apenas uma dose), segundo a pasta, receberão a segunda dose e, quando ela completar 5 meses de aplicação, a pessoa terá direito a dose de reforço.

Lembre-se que a vacinação é um pacto social. Quando todos nós nos comprometemos, protegemos a nós mesmos, nossos familiares e pessoas que, por algum motivo, não podem se vacinar no momento. Vemos hoje o quanto o sucesso da campanha de vacinação está auxiliando na redução de hospitalizações e mortes. Por isso, continuem fazendo a sua parte e tome as novas doses quando for a sua vez.

Para conhecer mais sobre as vacinas disponíveis no Brasil, leia este guia e tire todas suas dúvidas sobre o tema.