Teste de Gravidez: é melhor o exame de sangue ou de farmácia?

Você notou que seus seios estão doloridos, tem apresentado enjoos frequentes e a menstruação começou a atrasar? Então é melhor providenciar um teste de gravidez, porém, qual você deve escolher: teste de farmácia ou exame de sangue?

De maneira geral, o teste serve para detectar a presença ou ausência de um hormônio chamado de beta hCG, denominado cientificamente como gonadotrofina coriônica humana. O propósito do β-hCG é estimular o ovário a produzir a progesterona, outro hormônio que prepara o útero para o óvulo fecundado.

Como muitos testes são feitos sob grande pressão psicológica, este artigo serve como mini guia sobre o tema, a fim de acalmar as mamães de primeira viagem. Confira!

 

Afinal, como funciona cada teste?

Tanto o teste de farmácia quanto o exame de sangue não contam com contraindicações ou efeitos colaterais, sendo que ambos são muito simples e apresentam níveis de precisão altos. A seguir, você compreenderá um pouco melhor sobre o funcionamento de cada um deles, até mesmo para ter um pouco de tranquilidade na hora de efetuar qualquer um dos procedimentos.

Teste de farmácia

Muito similar à coleta de um exame de urina, o popular teste de farmácia é o mais habitual nos casos de suspeita de gravidez, até porque seu índice de acerto fica entre 95 e 99%. Basicamente, os kits servem apenas para detectar a presença do hormônio β-hCG e existem diversas marcas disponíveis, cujos preços podem chegar até 40 reais dependendo do fabricante.

O ideal é sempre ler as recomendações antes da utilização, uma vez que há testes que solicitam urinar diretamente na fita, coletar em um recipiente para mergulhar o papel ou utilizar um conta-gotas para efetuar o procedimento de umidificação. O teste em si é rápido, pois a reação química do xixi em contato com a parte branca leva entre 1 a 5 minutos dependendo do produto, sendo que apenas três resultados podem acontecer: 

  • duas riscas — positivo para gravidez;
  • uma risca — negativo ou ainda é cedo para detectar;
  • sem risca — falha no produto, ou seja, melhor comprar outro kit e refazer o teste.

No caso de testes digitais, a informação fica até mais clara, afinal, o intuito é que apareça no visor os termos “grávida” ou “não-grávida”. Se porventura der o resultado positivo, a recomendação é que você marque uma consulta com seu(sua) médico(a) ginecologista o quanto antes para dar início aos procedimentos de pré-natal, o que inclui o exame de sangue

Exame de sangue

Com uma precisão de 99% e podendo ficar pronto no mesmo dia, poucas horas depois da coleta inclusive, o exame de sangue para detectar gravidez é dividido em duas vertentes: o qualitativo (que aponta só o resultado) e o quantitativo (calcula o valor de β-hCG).

  • menos do que 5 mlU/ml — negativo;
  • entre 5 e 25 mlU/ml — indeterminado, pois pode ser um falso positivo ou gravidez muito recente;
  • acima de 25 mlU/ml — positivo.

Esse exame custa R$ 34,00 no particular reais e não há nenhuma preparação especial e nem há necessidade de agendamento, caso você possua convênio, basta levar o pedido médico.

 

Em que momento se deve fazer os exames?

A princípio, o parâmetro de tempo jamais deve ser a data da relação sexual, pois é possível que a mulher nem esteja ovulando nessa época, tendo em vista que, em um ciclo regular, a ovulação surja entre o 14º ou 15º dia. Caso tenha sexo sem proteção nesse período, deve-se aguardar mais duas semanas e um dia para identificar o atraso menstrual, que deixa a concentração do hormônio β-hCG mais alta.

Claro que pode acontecer de você não ter um ciclo tão regular assim, por isso, nessas situações, recomenda-se fazer a conta de acordo com o ciclo mais longo, ou seja, se o período menstrual varia entre 25 a 35 dias, deve-se considerar atraso após 35 dias. Explicada essa questão, saiba que o teste de farmácia pode ser realizado sempre que houver a suspeita de gravidez, cujo prazo ideal conta a partir de 2 a 5 dias de atraso.

 

E se der teste de gravidez negativo?

Imaginando que você fez o teste e o resultado deu negativo, saiba que ainda é cedo para se decepcionar ou comemorar, pois o β-hCG pode estar com níveis abaixo do que seria detectado normalmente. Partindo desse princípio, deve-se sempre avaliar se o teste de farmácia está dentro do prazo de validade e verificar se o lacre não foi rompido, lembrando que a violação e o contato com umidade ou calor pode danificar o produto.

Se a sua menstruação não desce, mesmo que tenha dado negativo o exame, o ideal é repetir o procedimento e procurar o(a) ginecologista para investigar as possíveis causas desse atraso. A falta de menstruação nem sempre é um sinal claro de gravidez, pois é possível que a mulher exceda em atividades físicas, faça dietas muito restritivas, seja acometida por forte estresse, tenha alterações nos ovários etc.

 

Como saber qual é o mais indicado?

Na disputa entre o teste de farmácia e o exame de sangue, obviamente que o segundo é muito mais indicado para certificar que a mulher esteja grávida ou não, pois ele mede com precisão a quantidade de β-hCG no organismo. Todavia, pode-se considerar que o exame de sangue sirva de complemento do teste de urina, tornando-o um parâmetro para as primeiras impressões médicas sobre a gestação.

Sendo assim, vale ressaltar que o teste de farmácia e o de sangue não há muita diferença de preço e, com a garantia de maior assertividade no resultado, recomenda-se sempre fazer o de sangue. Posteriormente, para aqueles casais que anseiam saber o sexo do bebê o quanto antes, existe o exame de sexagem fetal, realizado a partir da 8ª semana de gravidez.

Por fim, optando pelo teste de farmácia veja se o mesmo está com o selo de qualidade da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e siga à risca as recomendações da bula, a fim de realizar todo o procedimento da maneira correta.

O sexo sem proteção também pode levar a outros fatores como as doenças sexualmente transmissíveis, então aproveite e faça um check-up de DST também!