Como proteger a família contra COVID-19

De acordo com dados do Ministério da Saúde, o Brasil passou da marca de 200 mil casos confirmados de coronavírus em maio de 2020. Algo que só reforça a nossa preocupação em proteger a família, especialmente os parentes que estão no grupo de risco.

Em tempo de quarentena e de uma enxurrada de informações desencontradas, ter acesso aos conteúdos que trazem recomendações fidedignas é algo importantíssimo, levando em conta que notícias falsas podem deturpar a nossa percepção da realidade.

Neste artigo, você verá as medidas básicas que precisa ter para afastar a chance da COVID-19 “bater a sua porta”. Acompanhe a leitura e confira!

 

Quais são os principais sintomas do coronavírus?

Como ponto de partida das nossas dicas, logicamente que você deve ter conhecimento dos sintomas da COVID-19, que, embora alguns acreditem ser uma “gripezinha”, ela pode ter consequências sérias se não houver cuidados. 

O vírus fica incubado no corpo por volta de 2 a 14 dias, cujos primeiros sintomas costumam surgir lá pelo 5º dia, sendo eles: 

  • febre;
  • cansaço;
  • dor de garganta; 
  • perda dos sentidos (olfato e paladar);
  • tosse seca.

No patamar controlável, ou seja, em um quadro leve da doença, a recomendação sempre será a de ficar em casa, manter-se em repouso e ter toda atenção para não baixar a imunidade. 

Todavia, se a falta de ar contínua aparecer em conjunto com os demais sintomas, a indicação é que a pessoa procure uma assistência médica. 

 

Como a transmissão do vírus acontece?

Como estamos lidando com um vírus com alta propagação, todo cuidado é pouco no que diz respeito a mantê-lo longe de nossas vidas e, com isso, proteger a família, portanto, é sempre bom lembrar dos mínimos detalhes no combate à COVID-19. 

Mesmo que o Sars-Cov-2 tenha uma estrutura frágil, contendo uma fina membrana de gordura e proteína, que desidrata ao ar livre, a transmissão pode ocorrer facilmente.

O coronavírus pode passar de pessoa para pessoa por meio de gotículas de saliva ou secreção ao conversar, tossir e espirrar, inclusive, permanecendo em superfícies como plástico e aço inoxidável por dois a três dias respectivamente. 

Tendo isso em vista, o ato de encostar a mão em objetos infectados pode levar um grande perigo, por isso que seguir as orientações dos órgãos de saúde é algo primordial, até mesmo para que os biomédicos tenham tempo de achar uma solução.

 

Como se proteger?

Sabendo de todas essas informações, lógico que fica a dúvida de como podemos nos cuidar e proteger a família dos perigos da COVID-19, não é verdade? 

Pois bem, nessa luta contra o coronavírus é preciso adotar novos comportamentos e levar a sério as indicações de saúde, assim sendo, trouxemos abaixo algumas dicas básicas para ampararmos não somente nossos lares, mas todos a nossa volta.

 

Lave as mãos e não toque no rosto

Como diria Arnaldo Antunes, naquela canção famosa do programa Castelo Rá-Tim-bum: “Lava uma, lava outra mão…”, devemos zelar pela higiene, de modo que lavar as mãos é um ponto crítico para mudarmos o cenário atual.

Tendo em vista que a estrutura molecular do Sars-Cov-2 é coberta de gordura, o ato de usar água e sabão ou sabonete ajuda a eliminar os vestígios do vírus.

Outro item que também exerce um grande papel nessa luta, desde os tempos de H1N1, é o procurado álcool gel 70%, porque sua composição é ideal para afastar a possibilidade de contaminações. 

Evidente que nunca é demais lembrar a relevância de evitar levar as mãos ao nariz, boca e olhos, afinal, são as partes mais vulneráveis e que podem servir como trampolim para o vírus adentrar ao corpo.

 

 

Deixe os ambientes limpos e arejados

Da mesma forma que as pessoas com rinite e sinusite se preocupam em manter o ambiente livre de sujeira para não espirrarem descontroladamente, você deve ter atenção a respeito do acúmulo de pó e mofo nos ambientes que circula. 

É de suma importância que as janelas estejam abertas para circular o ar e, consequentemente, não criar um ambiente propício para o acúmulo de microrganismos.

Ao passo que o coronavírus pode permanecer em superfícies, a missão de deixar tudo higienizado também se estende aos objetivos e utensílios de uso pessoal, tais como talheres, pratos, copos, canecas, toalhas, brinquedos, entre outros aspectos. 

Ao fazer compras via delivery, separe as sacolas e lave bem as frutas, as verduras e os itens embalados de supermercado, deixando-os devidamente higienizados para consumo.

 

Fique em casa se possível

Infelizmente, tanto o sistema de saúde privado quanto o público no nosso país enfrenta problemas em relação ao número de leitos disponíveis, isto é, se muitas pessoas estiverem circulando nas ruas, a chance de colapsar o sistema é grande

Sem aglomerações pelas cidades, os índices de acidentes de carro diminuem drasticamente, por exemplo o que favorece a desocupação de vagas na UTI.

Enquanto não há uma vacina, ficar em casa é um ato de empatia com o próximo, mesmo que você aparente estar saudável, pois existe uma parcela assintomática da população que serve como um “hospedeiro” do vírus. 

Se o seu trabalho não é considerado essencial, não há razão para que fique passeando pelo município, especialmente se você estiver com indícios de sintomas leves.

 

Mantenha distância de outras pessoas se precisar sair

Se não tiver como ficar em casa integralmente e precisar sair para ir ao trabalho, banco, supermercado e outros ambientes com urgência, tente manter distância das pessoas por, pelo menos, um metro e meio ou dois. 

Esse é o seu limite de segurança, uma vez que o coronavírus não tem tanta força assim para alcançar grandes espaçamentos entre as pessoas.

Apesar de ser um comportamento frio, devemos evitar abraços, apertos de mãos, beijos e qualquer outro contato físico, o que não impede que você seja amigável com seus amigos e familiares e mostre um sorriso que os conforte de alguma maneira

Caso tenha que permanecer por muito tempo na rua, leve duas ou mais máscaras para efetuar a troca, pois as de tecido protegem dentro de uma margem de duas horas.

 

Por fim, mais do que proteger a família e demais pessoas da sua convivência, lembre-se que todos estão na mesma luta e que atos responsáveis podem salvar vidas. 

Se tiver que procurar ajuda médica e laboratorial, conte sempre com profissionais experientes e treinados para lidar com a COVID-19, prezando pelas recomendações sanitárias.

Você conhece alguém que apresentou todos os sintomas de coronavírus, mas gostaria de ter um resultado efetivo? Então entre em contato com os nossos especialistas para saber um pouco melhor sobre o exame PCR!

Fale com a gente

SAC: (19) 3112-5500
WhatsApp: (19) 97409-9002

Receba dicas de saúde

Dr. Antonio Vitor Ramos de Souza
Responsável Técnico
CRM 15210 / RQE 55934

© Ramos Medicina Diagnóstica - Todos direitos reservados.