Você sabe qual é a diferença entre a gripe, resfriado e Covid? Afinal, como saber qual infecção pegou para se cuidar de forma adequada?

Com a transmissão via gotículas no ar por conta de tosse, conversa ou espirro, a gripe (Influenza), o resfriado (rinovírus, adenovírus e parainfluenza) e a COVID-19 (coronavírus) podem gerar confusão no diagnóstico inicial.

Sendo assim, para que se cuide e possa zelar pela saúde da família, acompanhe a leitura e confira as principais diferenças, atitudes e cuidados!

Quais são as diferenças de sintomas em cada doença?

A diferença entre a gripe, resfriado e COVID-19 tem a ver com a intensidade dos sintomas. Sendo que pessoas com comorbidades e idosos correm mais riscos.

A seguir, você verá os principais sintomas relatados pelos pacientes e como eles se manifestam nas três doenças.

Febre

Quando se trata de um simples resfriado, a febre é mais rara de aparecer e isso já facilita bastante na eliminação de possibilidades para o diagnóstico.

Na gripe e na COVID-19, a febre é um dos grandes sinais de que algo está errado com o corpo. E é possível que a temperatura fique bastante alta dependendo do caso.

Tosse

Quando estamos resfriados, a tosse pode aparecer de vez em quando. Mas de uma forma muito branda e até imperceptível.

No entanto, com a gripe ela é geralmente seca e comum. No entanto para COVID-19 ela pode ser seca e persistir por alguns dias.

Cansaço

Aquela sensação horrível de esgotamento nem sempre é comum nas três doenças. Sendo que o cansaço pode depender da situação de cada paciente.

Com a gripe pode ser um sintoma até comum de aparecer, mas tanto nos resfriados quanto na COVID-19 pode surgir somente às vezes.

Nariz Entupido

Já esse sintoma é o que apresenta maior diferença entre gripe, resfriado e COVID-19. Isso porque cada uma das infecções dispõe de uma intensidade distinta.

Na COVID-19 é bem raro ver os pacientes com coriza. Mas é algo que aparece às vezes em sinais de gripe e é bem frequente nos resfriados.

Dor de garganta

Pode ser um dos sintomas principais da COVID-19. Deixando a pessoa um tanto mais debilitada e prejudicando uma alimentação adequada.

Com a gripe já é um sinal que pode aparecer às vezes nos pacientes. No resfriado, tende a ser um pouco mais raro de acontecer.

Dores no corpo

As dores no corpo podem ser consideradas comuns em casos de gripe e resfriados. Dando aquela sensação de que passou um trator em cima da pessoa.

No entanto, no caso da COVID-19, ela pode ou não aparecer. Vai depender muito da intensidade da infecção, que pode ir de leve a grave em questão de dias.

Falta de ar

Por serem mais simples de lidar, tanto o resfriado quanto a gripe dificilmente vão apresentar sintomas de falta de ar, a não ser que tenham evoluído para algo grave.

Já a COVID-19, desde os primeiros sintomas, evidencia uma falta de ar acompanhada do cansaço e isso pode ser preocupante e até um alerta para buscar atendimento.

Diarreia

Lembra no começo da pandemia, que as pessoas esgotaram o estoque de papel higiênico nos mercados com medo da diarreia ser um dos sintomas de COVID-19?

Pois bem, saiba que a diarreia é rara de aparecer tanto com a COVID-19 quanto com os resfriados, sendo que na gripe é possível ocorrer com as crianças apenas.

Ausência de sentidos

Esse é um bom sinal para diferenciar as três infecções, tendo em vista que apenas uma delas apresenta alterações na percepção de sentidos.

A ausência do paladar ou do olfato pode acontecer em alguns casos de COVID-19. Mas é difícil encontrar alguém que tenha reclamado disso com gripe ou resfriado.

Qual atitude tomar ao sentir os sintomas?

No caso do resfriado, os sintomas costumam ser leves e têm um início gradual. O pico é de 1 a 3 dias e o vírus pode permanecer no corpo até 10 dias.

Já a gripe aparece de surpresa com todos os sinais e pode durar até uma semana. É importante procurar um pronto-socorro para receber o tratamento adequado.

Enquanto isso, a COVID-19 tem uma intensidade que vai do estado leve ao gravíssimo. Sendo que o tempo da doença dependerá da situação dos pacientes.

Para gripes e resfriados, torna-se comum a recomendação de medicamentos para conter os sintomas e a indicação de repouso, hidratação e alimentação leve.

Se os sinais apontam para COVID-19, avalie a intensidade para não entrar em desespero e busque auxílio se houver uma evolução grave dos sintomas.

Quais são os principais cuidados que devemos ter?

Lave as suas mãos com água e sabão, esfregando bem os dedos para tirar a chance do coronavírus permanecer ali e você correr o risco de tocar nos olhos ou na boca.

Caso esteja em algum lugar que não seja possível lavar as mãos de imediato, carregue consigo sempre um frasco de álcool em gel 70%.

Evitar aglomerações e manter o distanciamento, se possível, é uma boa medida para as três doenças, sendo que o uso de máscara ainda é imprescindível.

Mantenha os ambientes bem arejados, não compartilhe itens pessoais, cubra o nariz e a boca no caso de tossir ou espirrar e adote um estilo de vida mais saudável.

Cumpra seu papel de cidadania e tome as doses da vacina contra a COVID-19, mas não se esqueça da importância da vacina da gripe também.

O que é flurona?

Recentemente, um termo começou a ganhar destaque nas redes sociais e nos noticiários: uma situação clínica chamada de “flurona”.

A aglutinação de palavras diz respeito ao termo “flu” de Influenza, remetendo à gripe, e o “rona” de coronavírus, que é o responsável pela COVID-19.

Ou seja, algumas pessoas apresentaram uma dupla infecção. De modo que fosse capaz de identificar os sintomas da COVID-19 e da gripe.

A detecção pode acontecer por meio de testes laboratoriais como o exame PCR. Sendo que os cuidados devem ser os mesmos para não proliferar a doença.

Em resumo, a diferença entre gripe, resfriado e COVID-19 tem a ver com a intensidade dos sintomas. E é importante ter prudência na avaliação de cada caso e seguir as recomendações médicas.

Acha que seus amigos podem ter a curiosidade de saber sobre esse assunto também? Então, aproveite que está aqui e compartilhe o post em suas redes sociais!

Privacy Preference Center