Foi tomar um banho de sol no verão e ficou parecendo um “camarãozinho”? Cuidado com os perigos da insolação, pois ela pode ser muito prejudicial à saúde.

Às vezes você só quer repor o seu “estoque” de vitamina D no corpo. Mas o calor é tão intenso que o organismo pede socorro. Com isso, algumas medidas precisam ser tomadas para não corrermos o risco de internação.

Neste artigo, você terá uma noção completa sobre a insolação, desde o que é até os melhores cuidados que devem ser respeitados. Acompanhe a leitura e confira!

O que é a insolação?

A insolação é um processo inflamatório intenso em que o nosso organismo não consegue conter a temperatura corporal, subindo mais do que o necessário.

Esse problema é ocasionado não somente pela exposição ao sol de forma prolongada. Mas também quando ficamos em lugares fechados e sem muita ventilação.

Usar roupas em excesso no calor, ficar sem se hidratar por muito tempo e praticar atividades extenuantes podem desencadear a insolação também.

Quando a temperatura corporal vai além dos 40º C, a tendência é que as pessoas percam muita água, nutrientes e sais minerais importantes para o equilíbrio do corpo.

 

Quais são os principais sintomas?

Os sintomas da insolação costumam aparecer aos poucos e, dependendo do tempo de exposição aos raios solares, tendem a ser mais graves.

Em geral, as dores de cabeça são as primeiras a aparecer, acompanhadas de tonturas e da incômoda sensação de náusea — com a possibilidade de enjoos e vômitos.

A pele fica ressecada e muito quente, podendo até ter um visual mais pálido ou com algumas extremidades arroxeadas.

Além disso, pode-se perceber alguns distúrbios visuais, respiração rápida e dificultosa, confusão mental e ausência total de suor.

Quais são os fatores de risco?

Infelizmente, existem alguns grupos de pessoas que apresentam maior predisposição para ter uma insolação. Bem como alguns comportamentos que devem ser evitados.

As crianças, os idosos e as pessoas com doenças crônicas, por exemplo, devem ter um cuidado especial em relação a esse problema. Pois podem ter efeitos colaterais graves.

Quem costuma fazer uso de medicamentos para pressão alta, antidepressivos, antipsicóticos e diuréticos também deve ficar de olho nos perigos da insolação.

Quem não tem o costume de ingerir líquidos durante o dia, bem como abusa do álcool ou da cafeína deve repensar os seus conceitos sobre hidratação.

Vale ressaltar que a insolação pode ocorrer em qualquer tipo de pele, no entanto, costuma ser pior entre as pessoas com pele clara suscetíveis à queimadura solar.

Quais são os perigos da insolação para a saúde?

Se a insolação não for tratada de forma adequada, há uma grande chance de termos complicações em órgãos vitais do nosso corpo — inclusive podendo levar a óbito.

Em parte dos casos, as pessoas que sobrevivem podem não se recuperar por completo e ter problemas sérios na coordenação motora e no funcionamento dos rins.

Uma das características mais intensas da insolação é a desidratação. Por conta da evacuação de resíduos por meio de vômitos e diarreia.

Dependendo da gravidade, podem surgir queimaduras de 2º ou 3º grau na pele, aumentando o risco de a pessoa apresentar algum tipo de infecção.

Além de danos ao coração, cérebro e músculos, o descuido frequente em relação à proteção em dias quentes pode desencadear até um câncer de pele.

Como é realizado o diagnóstico?

Conforme a pessoa apresenta os sintomas da insolação, os profissionais de saúde fazem uma avaliação clínica e podem pedir exames para confirmar o diagnóstico.

Esses exames também servem para verificar se houve algum dano no organismo, sendo que os principais solicitados são:

  • hemograma — a fim de ver as taxas de potássio e sódio, além de verificar possíveis danos no sistema nervoso;
  • exame de urina — para checar se os rins estão funcionando adequadamente;
  • testes de função muscular — investigar possíveis danos ao tecido muscular;
  • exame de raio-X — a fim de visualizar se há danos em outros locais do corpo.

Os clínicos gerais, os dermatologistas e os pediatras (no caso das crianças) são os profissionais gabaritados para apurar prováveis casos de insolação.

Quais são os primeiros socorros?

Em casos de demora no atendimento médico, existem algumas técnicas para amenizar o sofrimento das pessoas que podem estar com insolação.

A primeira atitude é hidratar a pessoa borrifando água delicadamente e levá-la para um local fresco.
Que seja bem ventilado e com sombra de preferência.

Caso a pessoa esteja consciente, o ideal é deixá-la em repouso e com a cabeça elevada para não piorar. Logo depois, aplique compressas de água fria na testa, pescoços e axilas.

A intenção é sempre tentar baixar a temperatura corporal até um estado aceitável. Para minimizar possíveis riscos à saúde antes do atendimento ambulatorial. 

Como é o tratamento da insolação?

A insolação não é um bicho de sete cabeças e tem cura sim. Os primeiros tratamentos podem ser feitos com hidratação intravenosa.

A administração de soro na veia é essencial para repor os sais minerais perdidos. Sendo importante também acompanhar a temperatura da pessoa periodicamente.

No ambiente hospitalar, há um esforço para acelerar o resfriamento do corpo. Para cobrir a pele com água em estado líquido ou gelo.

Em situações de convulsões, os pacientes podem ser afastados de objetos que gerem ferimentos, sendo que cada caso é tratado com o máximo de cuidado.

Como evitar e quais cuidados são necessários?

Em busca de uma vida mais saudável e de evitar possíveis complicações decorrentes da insolação, o ideal é tomar algumas medidas preventivas.

A primeira delas é utilizar um bom protetor solar de acordo com o seu tipo de pele. Evite permanecer sob a incidência de raios solares entre 10h e 16h.

É relevante usar chapéus para se proteger dos efeitos do calor. Bem como vestir roupas leves e de cores claras a fim de evitar a absorção de altas temperaturas.

Hidrate-se com água mineral, água de coco ou sucos naturais ao decorrer de um dia quente. Assim é possível evitar os riscos de desidratação do corpo.

Em dias de calor intenso, consuma alimentos mais leves como verduras e frutas.
Evite aglomerações e prefira ambientes bem arejados. 

Por fim, fica sempre a recomendação de buscar ajuda médica assim que surgirem os primeiros sinais de insolação. De modo que consiga ter um atendimento especializado e possa cuidar bem da saúde.

Gostou do assunto e quer ler outros conteúdos similares? Então, aproveite que está aqui e veja quais são os exames para atletas e o porquê de serem feitos!