A vacinação continua em ritmo acelerado no Brasil e temos mostrado para o mundo o poder de um legado no que diz respeito a campanhas de imunização em massa. Por isso, acabamos de passar os Estados Unidos em percentual de população vacinada, sendo que começamos bem depois deles.

Contudo, ainda temos muita fake news circulando e torna-se importante avaliar o que é verdade e o que é mito, para não deixarmos nossa saúde de lado em um momento tão importante. Para ajudar você nisso, preparamos um material sobre os mitos e verdades sobre comorbidades e vacinação. Vamos juntos? Boa leitura!

Pessoas com comorbidades precisam ter prioridade para se vacinarem: verdades

Alguns públicos são mais afetados pela Covid-19 do que outros, devido ao fato de que elas debilitam o sistema imunológico ou, então, geram quadros respiratórios mais delicados. Por isso, essas pessoas, quando contraem o vírus do SARS-CoV2 podem ter maiores chances de desenvolverem quadros mais graves da doença.

Estão nesse rol quem esteja dentro dos seguintes quadros:

  • idosos;
  • pessoas imunossuprimidas;
  • portadores de HIV;
  • pessoas com obesidade;
  • hipertensão arterial;
  • doença renal crônica;
  • diabéticos;
  • pneumopatias crônicas graves;
  • pacientes oncológicos, entre outros.

A vacina ajuda a desenvolver comorbidades: mito

Essa é uma fake news que deve ser combatida a todo custo. Não há qualquer evidência científica que corrobore a ideia de que as vacinas causem qualquer tipo de problema de saúde. Elas são seguras e seus efeitos colaterais são de curto prazo.

Ou seja, você pode tomar seu imunizante sem maiores problemas, que isso não vai gerar danos para sua saúde. Essa é uma fake news bastante repassada para desacreditar a eficácia da vacinação. Por isso, é importante difundir essa informação para familiares, amigos e colegas.

Pessoas com comorbidades possuem mais efeitos colaterais: mito

Não há evidência científica que estabeleça qualquer correlação entre comorbidades e efeitos colaterais mais agressivos. Assim, se você tem algum tipo de receio em relação a isso, relaxe. Os efeitos colaterais mais comuns das quatro vacinas autorizadas e aplicadas no Brasil atualmente são:

  • CoronaVac: dor no local da aplicação, febre, dor no corpo, diarreia e náuseas;
  • AstraZeneca: sensibilidade, vermelhidão e coceira no local da aplicação; indisposição, náuseas, fadiga, calafrios, febre, entre outros;
  • Pfizer: dor e inchaço no local da aplicação, cansaço, diarreia, dor nas articulações;
  • Jansen: dor no local da aplicação, dores de cabeça, cansaço excessivo.

Adolescentes com comorbidades também devem ter prioridade para vacinação: verdade

Ainda que sejam jovens, é fundamental que aqueles portadores de comorbidades estejam atentos para sua prioridade, seja na primeira e segunda doses, quanto para o reforço que virá, segundo autorização do Ministério da Saúde.

Isso porque há sim uma maior dificuldade do organismo em lidar com doenças novas e agressivas quando há comorbidades, mesmo sendo uma pessoa jovem. Por isso, a vacina cumpre esse papel de aumentar a proteção e evitar o desenvolvimento de quadros graves.

Gostou de saber quais são os mitos e verdades sobre comorbidades e vacinação? Então aproveite e acompanhe nosso guia completo sobre vacinas no Brasil e saiba mais sobre este tema tão importante!