Saiba tudo sobre o jejum para exame de sangue

Muitas vezes por falta de informação ou por conta do compartilhamento de notícias fantasiosas, as pessoas cometem equívocos ao tentarem cuidar da saúde. Falando nisso, você sabe como funciona o jejum para exame de sangue? 

A princípio, quando se fala de exame de sangue, vale mencionarmos que não existe uma solicitação isolada que engloba todas as análises existentes. 

É de praxe que os médicos especifiquem o pedido e, com isso, sejam definidas as instruções de preparação que antecedem o exame, tal como o jejum. 

Neste artigo, para tirar qualquer indício de dúvida, trouxemos um compilado das maiores perguntas a respeito de jejum antes da coleta de sangue. Confira!

 

Afinal, há necessidade de fazer jejum para exame de sangue?

Desde 2016, há um consenso entre as sociedades médicas do Brasil a respeito do tema jejum, levando em consideração que a obrigatoriedade de 12 horas para um exame de sangue, que mede os níveis de gordura, seja dispensável. 

No entanto, podemos observar que as recomendações em torno do assunto dependem muito do que os médicos solicitam em cada situação, ou seja, os laboratórios seguem apenas o que foi especificado.

Mas é interessante ressaltarmos que, para boa parte da população, deixar o período de jejum facultativo dá mais segurança aos diabéticos, às crianças e aos idosos, pois a chance de passar mal era grande com longos períodos sem a ingestão de alimentos. 

O jejum rigoroso era exigido para pessoas de perfil lipídico pela suposição de que o consumo alimentício alterava drasticamente os valores de referência, mas a comunidade científica reavaliou a orientação.

Para outros tipos de exames, obviamente que os períodos distintos de jejum permanecem conforme a avaliação do pedido médico, de modo que averiguar as instruções dos laboratórios é uma atitude coerente. 

É válido lembrar que, embora o jejum de 4 horas seja possível, alguns exames precisam ser coletados logo cedo. Por isso, nossa dica é sempre confirmar com o laboratório devido a restrições de horário recomendadas conforme o que se está sendo analisado.

Claro que é importante lembrar que nenhum jejum deve ultrapassar 14 horas, sendo que as pessoas não precisam priorizar a parte da manhã, pois com 4 horas de jejum é possível fazer a coleta de sangue em outros horários.

 

Qual é o jejum ideal para cada tipo de exame de sangue?

Para outros casos, o tempo de jejum será recomendado conforme as observações técnicas de cada médico. É ele quem tem a incumbência de avaliar o que pode ou não interferir no resultado dos exames. 

A maioria dos exames de sangue requer entre 3 a 4 horas de jejum, com algumas ressalvas para as referências de glicose, utilizadas para apurar diabetes e que tem como premissa manter 8 horas.

Em testes rápidos de sorologia, uma das formas de averiguar a presença do coronavírus no corpo, o ideal é que os pacientes fiquem em torno de 2 horas apenas de jejum. 

O tipo de exame e a complexidade de análise é que, de certa forma, definirão o tempo ideal para o não consumo de alimentos. Vale lembrar que ficar horas sem comer tende a esgotar as reservas de glicose e outras fontes de energia.

Quanto mais extenso for o jejum solicitado, naturalmente que o nível de gorduras e proteínas consumidas pelas células será maior também, de modo que os valores de referência são milimétricos para decidir cada período. 

Um hemograma não requer a necessidade de jejum, mas exames que medem os níveis de TSH e PSA, por exemplo, exigem 4 horas regulamentares para não interferir nos resultados.

 

Tomar água interfere no jejum?

Essa é sem dúvida a pergunta que mais é feita em laboratórios e clínicas. Aqui, o conceito básico que devemos adotar é o do bom senso. 

Da mesma forma que você não vai comer uma feijoada antes de um exame de triglicérides, por exemplo, o ato de beber água também deve seguir a linha de não ter exageros.

É importante confirmar com o laboratório sempre que você tiver dúvidas. Afinal, qualquer excesso pode interferir em um exame de urina, por exemplo. 

Em situações de crianças muito pequenas, que apresentam quadros clínicos de infecção ou febre, o ideal é não ficar tanto tempo sem tomar água. 

É necessário ficar de olho em outras recomendações pontuais também. Não adianta dar aquele “jeitinho brasileiro” e achar que chás e cafés servem para saciar a sede, viu? 

Substâncias desse tipo, mesmo que sem açúcar, podem modificar dosagens bioquímicas, especialmente por conta das reações provocadas pela cafeína no corpo.

 

Bebidas alcoólicas ou atividades físicas interferem no resultado do exame?

Dependendo da duração do uso de álcool, o ato em si se torna perigoso em relação aos resultados, de maneira que o jejum para exame de sangue também engloba o consumo de bebidas alcoólicas. 

Exames como o de colesterol ou triglicérides contam com a recomendação de 72 horas sem qualquer bebida do tipo, pois uma “cervejinha inocente” pode muito bem impactar no teste e não ser benéfica para sua avaliação de saúde. 

Contudo, o consumo exagerado de álcool faz com que haja uma grande demanda no metabolismo de açúcares e a deficiência de nutrientes primordiais para o organismo, como no caso dos níveis de cálcio e vitaminas do tipo A e B. 

Agora quando o assunto é exercício físico, entramos em um verdadeiro dilema. Afinal, por mais que eles sejam recomendados para manter uma vida saudável, deve-se ponderar a prática de atividades rigorosas antes de qualquer exame de sangue.

Exercitar-se com muito afinco perto da coleta pode resultar em alterações nos níveis da enzima creatinoquinase (CPK), por exemplo, alterando assim os índices do exame CK total. 

Os exercícios intensos consomem glicose para gerar energia, além de resultarem em níveis de leucócitos elevados. Isso torna a análise de um hemograma mais complicada para identificar problemas reais na condição clínica dos pacientes.

 

E o uso de medicamentos interfere?

Evidente que a preocupação com possíveis medicamentos também é latente nas pessoas. 

Quando se trata de medicamentos como anti-inflamatórios e antibióticos, a recomendação é que não sejam ingeridos. Isso porque eles causam alterações em testes de coagulação do sangue. 

Deixar de informar o uso de corticoides ou, até mesmo, complexos vitamínicos, como os que contém biotina, pode influenciar diretamente na interpretação dos exames

Todavia, o mais certo a fazer é conversar com os médicos que prescreveram a medicação. Só eles podem suspendê-la de acordo com estado clínico dos pacientes. E, claro, os laboratórios também precisam ser informados do uso antes da coleta. 

 

Para concluirmos, jamais se esqueça que, além de considerar o jejum para exame de sangue conforme a recomendação médica, é essencial verificar se a clínica laboratorial é de confiança e preza pelas especificações de vigilância sanitária. 

Caso esteja procurando algum exame para avaliar sua condição de saúde, aproveite o momento e entre em contato com o nosso canal direto no WhatsApp!

Fale com a gente

SAC: (19) 3112-5500
WhatsApp: (19) 97409-9002

Receba dicas de saúde

Dr. Antonio Vitor Ramos de Souza
Responsável Técnico
CRM 15210 / RQE 55934

© Ramos Medicina Diagnóstica - Todos direitos reservados.