Segundo o Ministério da Saúde, há cerca de 570 mil novos casos por ano de câncer de colo do útero no mundo. Pensando nisso, você já fez o exame de Papanicolau? 

Embora tenha o nome de um sumo pontífice da igreja católica, a origem do exame vem das pesquisas do médico romeno Geórgios Papanikoláou, que desenvolveu um teste ginecológico para avaliar a possibilidade de doenças no canal vaginal.

Neste artigo, você terá um compilado de informações sobre esse exame e irá descobrir como escolher um laboratório de primeira linha. Acompanhe a leitura e confira!

 

Para que serve o exame de Papanicolau?

Também chamado como exame preventivo, o Papanicolau é imprescindível para realizar um diagnóstico precoce de câncer de colo do útero.

Com isso, a mulher consegue ter um acompanhamento adequado, uma vez que o exame tem a finalidade de averiguar possíveis alterações no colo do útero. 

É uma forma de identificar lesões pré-cancerosas que podem evoluir para um tumor, caso não sejam observadas e removidas a tempo. 

Além disso, esse exame permite diagnosticar outras doenças como clamídia, sífilis, HPV, candidíase, gonorreia, tricomoníase, entre outras possibilidades.

 

Como é feito o exame?

O procedimento do exame de Papanicolau é bem simples, tendo em vista que dura cerca de 5 minutos, tempo suficiente para fazer análises prévias sobre a situação.

Costuma ser indolor de maneira geral, porém, dependendo de como a mulher se sentir em relação ao exame, um certo desconforto tende a ser encarado como tolerável. 

Realizado no consultório de ginecologia, a mulher deve se deitar em posição ginecológica, com as pernas levantadas e apoiadas em um suporte.

A pessoa responsável pelo exame utiliza um espéculo (uma espécie de bico de pato) para afastar as paredes da vagina e, assim, visualizar o interior da cavidade.

São recolhidas células do colo do útero por meio de uma espátula e uma haste com cerdas, a fim de encaminhar o material para um laboratório de análises clínicas.

Caso a mulher se sinta desconfortável de ser atendida por um homem, o ideal é notificar o laboratório sobre a possibilidade de ter o acompanhamento de uma profissional do sexo feminino.

 

Quando ele deve ser feito?

De modo geral, o exame é recomendado para mulheres que dispõem de uma vida sexual ativa, sendo que a faixa etária prioritária está entre 25 e 65 anos de idade.

No entanto, o Papanicolau também pode ser feito por mulheres virgens após os 21 anos, dependendo é claro de uma análise ginecológica e necessidade do exame.

Em situações de sangramento genital de causa não-hormonal, secreção vaginal abundante e sangramento relacionado ao ato sexual, o exame também é indicado.

A princípio, esse procedimento preventivo deve ser realizado anualmente, porém, se houver normalidade por 2 anos seguidos, a periodicidade fica a cada 3 anos.

As gestantes podem fazer o Papanicolau só até o quarto mês, sendo recomendado na primeira consulta do pré-natal, se porventura a mulher não tenha feito recentemente.

A partir dos 64 anos, se a mulher nunca passou por esse exame preventivo, recomenda-se dois exames com um intervalo de 1 a 3 anos entre eles.

 

Quais são os cuidados antes do exame?

Assim como outros procedimentos médicos, o Papanicolau também requer certos cuidados, a fim de facilitar a análise clínica e não gerar incômodos na paciente.

A primeira regrinha básica é que a mulher não tenha feito sexo em um intervalo de 72 horas antes do exame, mesmo com o uso da camisinha.

Ela não pode estar menstruada no dia, sendo necessário então marcar o exame entre o décimo e o vigésimo dia depois do primeiro dia do último sangramento habitual.

Isso porque, assim como acontece no exame de urina, a presença de sangue pode prejudicar a avaliação médica e proporcionar erros nos resultados.

Nas 48 horas que antecedem o exame, a mulher também não pode utilizar duchas para a higiene íntima, tão pouco fazer uso de cremes ou lubrificantes vaginais.

 

Como interpretar os resultados?

Muito mais do que uma simples observação do canal vaginal, o exame preventivo é só o começo de uma análise apurada e completa em busca de lesões e infecções.

Depois da avaliação no laboratório, o ginecologista recebe o laudo e verifica possíveis anormalidades nas células coletadas e a presença de fungos e bactérias na amostra.

As alterações podem ser tanto benignas quanto possíveis tumores ou, até mesmo, lesões que podem desencadear em um tumor futuramente se não forem tratadas.

Quanto aos resultados do laudo, as características das células observadas por meios microscópicos e reveladas pelo laboratório são: 

  • classe I — colo do útero saudável;
  • classe II — alterações benignas nas células, podem ser causadas por inflamação vaginal;
  • classe III — há alterações no colo do útero que remetem à prescrição de novos exames para saber a causa do problema, podendo ser o HPV, por exemplo;
  • classe IV — indica a possibilidade de um câncer de colo de útero em estágio inicial;
  • classe V — confirmação do câncer de colo do útero;
  • amostra insatisfatória — o material não foi adequado e a análise laboratorial não pode ser executada.

É essencial cobrar os resultados para saber se está tudo bem, sendo que, em casos de infecção por HPV ou alterações nas células, pede-se que refaça o exame após 6 meses.

 

Quais exames podem ser pedidos como complemento?

Se houver uma leve suspeita de câncer, o ginecologista pode solicitar exames complementares ao Papanicolau para ter um diagnóstico mais preciso ainda.

Um deles é a colposcopia, que avalia a vulva, a vagina e o colo do útero por meio de um aparelho similar a um microscópio, que fica a cerca de 30 cm do local observado.

Durante o exame, o ginecologista utiliza o espéculo para afastar a parede vaginal e pincela um pouco de ácido acético para corar a cavidade e ressaltar possíveis lesões. 

O ultrassom transvaginal é um exame de imagem complementar importante, pois verifica a presença de doenças ginecológicas graves e possível câncer. 

Esse procedimento tem como finalidade analisar a estrutura pélvica como um todo, ou seja, observando alterações no endométrio, ovários, útero, trompas uterinas etc. 

Além disso, a histeroscopia com biópsia e a curetagem uterina podem ser pedidas também, que são exames complexos para comprovar ou não o diagnóstico inicial.

 

Qual é a importância de fazer um check-up completo? 

Tanto o exame de Papanicolau quanto seus possíveis testes complementares são bem relevantes para a saúde da mulher, a fim de prolongar a longevidade da paciente.

Dentro dessa premissa, fazer um check-up completo é perfeito para averiguar quaisquer anormalidades no corpo e, com isso, tomar as devidas providências.

Mediante aos exames de rotina, tais como glicemia, hemograma, colesterol, exame de urina e demais tipos, a mulher pode se informar quanto a possíveis doenças.

Isso permite uma mensuração sobre a condição de vida levada, de modo que hábitos não saudáveis sejam repensados e a mulher se sinta mais à vontade com o corpo.

 

Como escolher um bom laboratório de análises clínicas?

Antes mesmo de marcar um check-up completo, visando não apenas fazer o Papanicolau, mas outros exames de rotina, procurar um bom laboratório é crucial.

Para tanto, trouxemos abaixo algumas dicas preciosas para que você avalie bem suas opções e decida contratar os serviços de quem realmente sabe o que faz.

 

Pesquise sobre a reputação do laboratório

Antes de comprarmos um produto ou contratarmos um serviço, geralmente, avaliamos os comentários positivos ou negativos a respeito da marca ou estabelecimento.

É importante verificar como as outras pessoas se sentiram em relação ao serviço de saúde disponibilizado pelo laboratório, até mesmo para fugir de possíveis ciladas.

Apure o máximo de informações sobre o local, inclusive levando em conta a reputação da empresa e dos profissionais que lá trabalham

Tomar esses cuidados faz com que você tenha mais tranquilidade de realizar exames, especialmente aqueles que são relativamente invasivos ao corpo.

 

Veja se há um bom atendimento

Se você vai a um restaurante e a comida é servida com atraso, chega à mesa mal preparada e o ambiente é incômodo, a chance de você voltar lá é zero, não é mesmo? 

O mesmo caso se aplica a um laboratório de análises clínicas, ou seja, o fator atendimento é primordial para causar uma boa impressão e gerar credibilidade.

Desde o primeiro contato, confira se as pessoas que te atenderam foram educadas, solícitas, empáticas e proativas, pois um atendimento exemplar faz diferença.

É preciso que os profissionais do laboratório tirem todas as dúvidas necessárias, de um modo respeitoso, por meio de um diálogo acolhedor e didático.

 

Confira se a estrutura do laboratório é adequada 

Em tempos de transformação digital aceleradíssima, a estrutura do laboratório tem que ser moderna, permitindo a realização de muitos exames essenciais.

Veja se o laboratório tem uma estrutura condizente com a propaganda feita pela marca, pois isso diz muito se a clínica tem como proporcionar resultados coerentes.

Um laboratório de excelência faz o possível para promover o que há de melhor em termos de análise, utilizando-se de aparelhos que permitem um diagnóstico preciso.

Inclusive, veja se o estabelecimento trabalha com a possibilidade de retirada online de exames, a fim de a paciente ganhar tempo e verificar todos os laudos em seu cadastro. 

 

Informe-se sobre a quantidade de convênios aceitos

Outro assunto que gera muitos questionamentos é a cobertura de convênios, ou seja, quanto melhor o laboratório for, maior o portfólio de empresas que confiarão nele.

Dependendo dos resultados dos exames, existe a chance de ir ao laboratório com certa frequência, portanto, um plano de saúde facilita nesse processo em termos financeiros.

Com o uso de convênios ou benefícios de saúde, você pode ter uma assistência qualificada quanto aos exames necessários, de modo que mantenha a saúde em dia.

Pensando nisso, pergunte o número de planos que o laboratório trabalha e, principalmente, se aceita o seu plano, pois isso evita problemas com orçamento.

 

Para concluirmos, veja que tão relevante quanto fazer o exame de Papanicolau é buscar o auxílio de profissionais qualificados, porque isso promove bem-estar, tranquilidade, conforto e qualidade de vida.

Se você quer saber detalhes sobre exames ou mesmo fazer um agendamento o quanto antes, entre em contato com o Laboratório Ramos e saiba como se cuidar!